terça-feira, 31 de dezembro de 2013

FENOMENAL 2014

Prezados Amigos, Parceiros, Colaboradores, Fornecedores, Prestadores de Serviço, Simpatizantes e Visitantes,

Agradecemos muito a todos que, em 2013, contribuíram para que pudéssemos socorrer dezenas de animais em sofrimento e abandono e pudéssemos orientar e auxiliar nossos semelhantes no que se refere à prática de uma convivência ética, solidária e respeitosa em relação aos nossos irmãos, os animais.

Durante esses mais de 13 anos de atividades, jamais desanimamos! Jamais recuamos por qualquer dificuldade, problema ou crítica diante de nós. Estamos todos juntos! Nossa missão é maior que tudo! Nosso Amor é infinito, não se esgota, vem de Deus.

Que neste ano de 2014, nosso senso de igualdade, ética e justiça se reproduza em nossas vidas e amplie ainda mais o nosso amor e respeito por todos os seres vivos que compartilham conosco a existência na Terra.  Mais amor, menos violência, menos exploração, menos crueldade.

E que esse amor e respeito incondicionais entre todas as formas de vida afastem cada vez mais o ser humano das necessidades ilusórias e primitivas, elevando a sua alma mais alto, mais perto de Deus.

Neste 2014, desejamos que a nossa união seja revigorada e permaneça forte, inabalável e perseverante. Que todos nós sejamos abençoados com muito amor, saúde, compreensão, paciência, paz e prosperidade.

FENOMENAL 2014

A Diretoria
União Cabreuvana Protetora da Fauna e Flora – UCAPROF

“Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos.” Bezerra de Menezes


domingo, 29 de dezembro de 2013

UCAPROF RESGATA POODLE COM BICHEIRA, OTITE E CEGO

RESGATE UCAPROF: ANTES
RESGATE UCAPROF: DEPOIS
Na quinta, 26, nas proximidades do Parque Santo Antônio, Jacaré, Cabreúva, SP, com a colaboração de moradores do local, a UCAPROF resgatou um poodle macho, adulto, pelagem branca, que apareceu naquela rua com severa miíase (bicheira) nos ouvidos e otite aguda. Com perda da visão, os olhos apresentam catarata e conjuntivite. Além disso, o cãozinho estava tomado pelas pulgas e carrapatos.

Imediatamente, a UCPROF o encaminhou para o Dr. Adriano Camargo De Felice, da Clínica Rural Vet, que iniciou o tratamento com a retirada dos vermes do ouvido e desinfecção dos tecidos, bem como a limpeza e assepsia dos olhos. Em seguida, passou por banho e tosa para higienização e extermínio dos parasitas.

O cãozinho está recebendo medicamentos e colírios, seu estado de saúde inspira cuidados.

INFORMAÇÃO (Jacaré, Colina da Serra, Parque Santo Antônio etc.)

Provavelmente, esse cãozinho deve ter se perdido do seu “dono” por não estar enxergando.


Por favor, se você o reconheceu ou  tiver qualquer informação sobre ele e seu “dono” entre em contato conosco pelo e-mail contato@ucaprof.org.br .

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Prezados Amigos, Parceiros, Colaboradores, Fornecedores, Prestadores de Serviço, Simpatizantes e Visitantes,

Aclimatados à atmosfera do Evangelho, respiremos o ideal do Amor e Respeito por toda a criação de Deus. Desejamos a todos a Paz, o Amor, a Esperança e Alegria. Unidos, sigamos Jesus para um feliz e abençoado Natal.

A Diretoria

União Cabreuvana Protetora da Fauna e Flora            (UCAPROF)


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

ALVARÁ PARA RODEIOS EM CABREÚVA ESTÁ PROIBIDO DESDE 2000


Desde 2000, o Município de Cabreúva está proibido de conceder alvará ou qualquer outro ato administrativo comissivo ou omissivo a pessoas físicas ou jurídicas que, na promoção dos rodeios utilizem sedém, esporas, peiteiras, sinos e chocalhos, choques elétricos ou mecânicos ou qualquer outro meio que produza dor e sofrimento físico e mental nos animais e provas que igualmente causem sofrimento físico e mental como “bulldog, laço em dupla, laçada de bezerro, bareback”, montaria cutiana”, entre outras. 

Cabreúva ainda não era Comarca e o processo correu na Justiça de Itu, transitou em julgado e não cabe mais recurso. Logo, sem alvará, os rodeios não poderão ser realizados em Cabreúva. 

Além disso, sem aqueles instrumentos que causam pânico, dor e sofrimento físico e mental nos animais, que os fazem pinotear como loucos, fica realmente impossível realizar as provas.

domingo, 8 de dezembro de 2013

Confraternização

Da esquerda para direita – Sentadas: Vânia Nunes, Sônia Fonseca, Ana Teresa Merbach, Rita de Cássia Maria Garcia, Lilian Rockenbach e Cintia Frattini. Em pé: Ângela Caruso, Walkíria Nunes, Luciano Buzatto, Vânia e Durval Tuglio.
Sábado, 07, a presidente honorária vitalícia do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal (FNPDA) Sônia Fonseca recebeu em sua residência seleto grupo de ativistas pelos direitos dos animais, proporcionando a todos uma noite muito agradável e alegre. Nossos irmãos, os animais, foram o assunto principal, lógico.  

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

A libertação animal emana do povo

Na prática, dois elementos devem concorrer para o progresso do ativismo de proteção e defesa animal: o conhecimento científico da causa e os meios de popularizá-la.

A difusão das ideias protecionistas estabelecidas a partir do reconhecimento de que os animais não humanos são sujeitos de direito, assim como os humanos, depois do impacto social, faria nascer a curiosidade do povo sobre o assunto, multiplicando os simpatizantes, — processo, este, que já se encontra em andamento na sociedade sob ferrenha resistência.

Hoje, se discute o fim do uso dos animais na alimentação, no vestuário, nos espetáculos (rodeios, vaquejadas, corridas etc), nas práticas religiosas, no ensino, na pesquisa. Porém, essa discussão tem de ser o mais popular possível, apresentar argumentos simples e racionais com propostas alternativas acessíveis e viáveis.

Antes é preciso educar, conscientizar o povo, libertar a consciência coletiva de hábitos, culturas e tradições ultrapassadas, primitivas, despertar a consciência popular para o fato de que os animais são seres sencientes, ou seja, sentem dor, medo, prazer, alegria, saudade, estresse, têm memória e consciência de si mesmos.

Depois, o povo provoca a mudança do poderio econômico das indústrias dos matadouros, frigoríficos, laboratórios etc. É um processo lento, mas já começou.

Atualmente, o vegetarianismo e o veganismo são os hábitos alimentares que mais crescem no mundo. Alguns países aboliram o uso de animais em pesquisas e várias instituições de ensino deixaram de utilizá-los. Muitos municípios proíbem rodeios, vaquejadas e circo com animais e, alguns, começaram a proibir o seu uso em pesquisas.

A verdade sobre as torturas e crueldades que se impõem aos animais nos laboratórios, nos matadouros, nos rodeios, vaquejadas, na indústria da moda, dos alimentos, entre outras, deve ser revelada publicamente para que todos a vejam.

O ativismo pela proteção, defesa e direitos dos animais promove o fim do holocausto animal, faculta a libertação  da culpa humana pelo genocídio contra os animais.  Suas raízes devem ser fincadas fundo no seio do povo.   

Luciano Buzatto
Ativista pelos direitos dos animais

Idealizador e fundador da União Cabreuvana Protetora da Fauna e Flora (UCAPROF)