quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Resgatado cão caído na calçada

Resgate UCAPROF: 27 11 2013, Rua Rio de Janeiro
Na quarta, 27, a Guarda Municipal (GM) encaminhou para a UCAPROF pedido de resgate para um cão sem raça definida (SRD), preto, porte médio, que se encontrava caído na calçada da Rua Rio de Janeiro, bairro Jacaré.

Chegando ao local, Luciano Buzatto, ativista pela proteção e defesa dos animais e um dos dirigentes da UCAPROF, constatou a veracidade dos fatos e solicitou à Defesa Civil que levasse o cão para a clínica veterinária RuralVet, aos cuidados do Dr. Adriano Camargo De Felice.

O animal apresentava perda de apetite, cansaço, fraqueza, anemia e febre. Suspeita-se da doença do carrapato (erliquiose). Foi colhido sangue para exames e para a conclusão do diagnóstico.


O animal foi transferido para uma clínica veterinária em Salto, com a ajuda de Jesse Florindo, ativista pela proteção e defesa dos animais e um dos fundadores da UCAPROF, pois a clínica RuralVet está passando por reformas e não dispunha de vaga para internação. 

Cachorrinha é encontrada dentro de bueiro

Resgate UCAPROF: 21 11 2013
Na quinta, 21, populares ligaram para a Guarda Municipal (GM) comunicando que havia uma cachorrinha caída dentro de um bueiro na Rua França, no bairro Vilarejo. Em seguida, a GM acionou a União Cabreuvana Protetora da Fauna e Flora (UCAPROF) e a Defesa Civil para que o resgate fosse realizado.

Chegando ao local, a Defesa Civil constatou que havia alguns dias que a cachorrinha estava presa no bueiro e seu estado de saúde era dramático.


A cachorrinha, então, foi encaminhada para a UCAPROF, que providenciou internação e atendimento médico-veterinário. Seu estado de saúde era crítico, apresentando desidratação, febre muito alta, cinomose no estágio terminal, com convulsões constantes. O médico veterinário optou pela eutanásia a fim de não prolongar mais o sofrimento do animal. 

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

ANDA: Dívida milionária da SUÍPA ameaça futuro de animais abandonados do Rio de Janeiro

Esta notícia nos causa muita dor e tristeza e mostra realmente que é impossível acolher todos os animais abandonados, vítimas da maldade humana. O paradigma da proteção e defesa animal precisa mudar. Faz-se necessário acirrar o combate à ignorância e crueldade humanas com informação, conscientização, educação, legislação e penas mais severas pela valorização da vida animal. Abaixo, leia o texto “Ativismo Animal”. 

LEIA A MATÉRIA COMPLETA EM: 
http://www.anda.jor.br/15/11/2013/divida-milionaria-suipa-ameaca-futuro-animais-rua-rio

terça-feira, 12 de novembro de 2013

BUSCAMOS LAR PERMANENTE PARA BRANQUINHO

BRANQUINHO É UM POODLE ADULTO, DÓCIL, MACHO, CASTRADO, VERMIFUGADO E COM A 1ª DOSE DA VACINA V10.  

Divulgue e nos ajude nessa Campanha do Bem a fim de encontrarmos uma nova família, um novo lar para Branquinho.

Para adotar, basta ter 18 anos ou mais, apresentar RG, CPF e comprovante de endereço. Entre em contato: Tel.: 4529-7780 (Clinica Veterinária Rural Vet) – Avenida Itália, 127, Jacaré, Cabreúva,SP.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Ativismo Animal

Lamentavelmente, ainda existem pessoas pensando que ajudam a combater o crime de abandono de animais enchendo suas casas de cães e gatos retirados das ruas. Mais gente ainda pensa em montar uma ONG ou grupo e criar campos de concentração animal, proferindo discursos de absoluta ingenuidade ou ignorância, pedindo dinheiro, prometendo às pessoas tirar todos os animais das ruas.
Nenhuma ONG e nenhum grupo ou pessoa acabarão com o abandono de animais abarrotando canis, gatis, quintais, casas, sítios etc. Enquanto se recolhe apenas um, outros tantos são abandonados. É impossível recolher todos os animais das ruas enquanto houver humanos irresponsáveis os enxotando de suas vidas a cada minuto. O número de animais abandonados é significativamente superior ao de adotados e assim os abrigos vão ficando cada vez mais cheios.
A verdade é que estamos cansados de ver na mídia casos de órgãos públicos, de instituições privadas, de grupos independentes, de protetores com seus imóveis abarrotados de cães e gatos, passando por extrema dificuldade com a superlotação, que gera a falta de dinheiro, espaço, comida, medicamentos, produtos de limpeza, voluntários para ajudar e, principalmente, pessoas para adotar.
Nós, humanos, somos os tutores dos animais e temos a obrigação de cuidar deles, mas devemos fazê-lo de acordo com nossas possibilidades, respeitando nossos limites e recursos.
O verdadeiro ativismo em defesa e proteção animal deve ser embasado em amor, conhecimento, responsabilidade, respeito ao semelhante, informação e constantes estudos e jamais pode ser praticado como um hobby. O ativismo pelos direitos dos animais não comporta aventureiros, desequilibrados, cobiçosos e arrogantes.
O objetivo central do ativismo praticado com seriedade é o fim do holocausto animal nos laboratórios, no ensino, nos rodeios, vaquejadas, circos, viveiros, matadouros etc, por meio da conscientização de que os animais são seres sencientes (sentem dor, medo, prazer, alegria e estresse, têm memória e saudade), têm consciência de si mesmos, são sujeitos de direito e não simples objetos para fins econômicos, religiosos, culturais, gastronômicos etc.
Contudo, todos nós, sem exceção, somos responsáveis por eles. Nunca se deve jogar nas costas das instituições, das ONGs e das outras pessoas a própria responsabilidade que se tem diante de um animal precisando de ajuda.  Certamente, as organizações e os protetores independentes já estão com excesso de trabalho a espera de abnegados colaboradores e não de pedintes acomodados que buscam aliviar as suas consciências à custa dos sacrifícios dos outros. Qualquer pessoa, em algum momento, pode sozinha socorrer um animal necessitado.   
Os crimes contra os animais só se extinguirão da sociedade quando ocorrer o despertar da consciência e o desabrochar do conhecimento universal na mente humana de que tudo que vive tem uma alma com a mesma importância e a mesma origem divina. Tudo e todos foram criados pelo mesmo Criador e caminham juntos à luz da evolução e perfeição.

Luciano Buzatto
Ativista pelos direitos dos animais
Idealizador e fundador da União Cabreuvana Protetora da Fauna e Fora
(UCAPROF)


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

RESGATE DE CACHORRINHA NO PINHAL IV

Resgate UCAPROF: ADOTADA!
Atendendo aos pedidos dos moradores do local, a UCAPROF e a Defesa Civil resgataram uma cachorrinha no Pinhal IV, infectada por parasitas.

A UCAPROF providenciou atendimento veterinário, onde ela recebeu todos os cuidados, como banho, tosa e esterilização (castração).

Compartilhamos com todos a nossa alegria, pois na hora em que estava sendo retirada do local, uma família se prontificou a adotá-la e a cachorrinha já esta com sua nova família. Mas sua saúde ainda inspira cuidados e esperamos que se recupere logo.


Agradecemos a toda à equipe da Defesa Civil pelo valoroso apoio de sempre nas operações de resgate de animais, bem como às pessoas que nos ajudam e colaboram para o salvamento dos animais doentes e feridos, nas vias publicas. Muito obrigado! Os animais também agradecem!